GPA BLOG

Descomplicando a arquitetura

5 dicas para evitar atrasos na obra

Há muitos detalhes que acarretam atrasos em uma obra que nós profissionais desejariamos que os clientes compreendessem. Para que possamos alinhar melhor as possibilidades e as expectativas do cliente com a realidade. É comum as pessoas se perguntarem o porque as obras atrasam e neste artigo vamos tentar esclarecer alguns fatores que influenciam nisso. O objetivo é passar mais compreensão e entendimento dos porquês de cada coisa e ajudar você a agilizar sua obra.

Photo byJosh Sorenson


1 Dependência de terceiros

Dentro do prazo estipulado pelo arquiteto ou engenheiro para conclusão da obra existem diversas etapas que dependem de parceiros, fornecedores e demais serviços. Muitas vezes, por motivos fora de nosso controle, estes processos sofrem atrasos. Por algum imprevisto, nem sempre por falta de agilidade. Suponhamos que uma entrega não chegará no dia previsto à obra devido ao fechamento de alguma via por N motivos.

É necessário desmistificar uma coisa sobre obras no Brasil, onde há o estigma de que as coisas não funcionam direito. Os profissionais envolvidos na construção civil trabalham duro e para eles também é prejudicial não cumprir seus prazos. Porém imprevistos e falhas alheias ao nosso controle podem ocorrer durante o processo de obra. O responsável técnico deve gerenciar não só o seu prazo como também ficar de olho na agilidade de todos os demais envolvidos, que por sua vez também possuem seus outros serviços acontecendo simultâneamente.


Dica: É sempre bom fazer um cronograma elaborado, incluindo todas as datas estipuladas de cada etapa da obra. É também igualmente importante rever o cronograma periodicamente. Olhar para ele com realismo impede que o atraso se acumule cada vez mais. Se houve um atraso de 1 dia em algum momento, peça para o responsável analisar qual será o impacto e transfiram este atraso para o cronograma, para que os demais serviços que dependem daquele atraso possam ser reajustados. Caso contrário o atraso refletirá para quem não se atrasou e no final ele será maior do que deveria.


2 Agilidade nas decisões

O ideal é que cada detalhe da obra seja definido e aprovado pelos clientes na fase de projeto. Quanto mais tempo se investe em projeto, menos intercorrências negativas há durante a obra. Entretanto algumas coisas eventualmente precisam ser revistas ou decididas durante a execução e fica a cargo do gestor da obra apresentar a questão aos clientes. Nos casos em que isso acontece, o gestor depende de uma decisão final dos clientes, envolvento escolhas ou até mesmo apenas um ok ou uma liberação de algum tipo. Esteas questões devem ser resolvidas o quanto antes para que o gestor possa dar o start naquele determinado serviço, fazendo com que o fornecedor também inicie a produção o quanto antes. É muito importante sempre passar a bola para a pessoa certa para que o jogo continue sem atrasos.

Deve-se sempre resolver o máximo de coisas com antecedência, pois alguns materiais e serviços tem um prazo grande para serem entregues e podem vir de muito longe. Portanto se sua casa está na fase de terraplanagem, é bom que já se saiba de quem serão comprados os tijolos e quando eles podem ser entregues, por exemplo.

Por outro lado há também o fato de que os serviços seguem uma programação e muitas vezes o profissional programa-se para realiza-lo em uma determinada data. Caso algum detalhe não seja definido para que ele possa dar início ao serviço (frente de trabalho), aquela janela de tempo que ele havia programado deverá ser reencaixada.


Dica: Quanto melhor for a comunicação mais rápido as coisas se resolvem. Os clientes não podem deixar para se inteirar sobre a obra apenas quando o responsavel contacta-los. Fique de olho nos processos e peça atualizações sempre que possível. Também tenha em mente que, como cliente, suas decisões podem influenciar bastante na agilidade da obra. Portanto tente atender ao responsável pela sua obra sempre que possível. Caso não seja possível resolver algo prontamente, questione-o sobre até quando ele precisa de uma definição. Programe-se!


3 Invista em projetos

O conceito básico de projeto é pensar algo antes de fazer. Muitas vezes parece uma coisa que mais atrasa do que ajuda, mas quanto mais coisas forem definidas durante o projeto, melhor. Havendo necessidade de refazer ou voltar atras de alguma decisão, é muito mais fácil para o arquiteto corrigir um desenho do que para o mestre derrubar e reconstruir uma parede.

Projeto deve ser visto como segurança e planejamento, não só operacionais como financeiros. No caso da hipótese anterior haveria uma grande economia alterando o desenho ao invés da obra. Além do gasto financeiro seria um prejuízo no cronograma, já que um profissional deverá parar a continuidade de seus serviços para refazer algo. Chamamos esse processo de retrabalho e ele deve ser evitado ao máximo. Parece algo muito pequeno perto da obra como um todo, mas de retrabalho em retrabalho sua obra vai atrasando cada dia mais.


Dica: Não negligencie projetos. Muitas vezes as pessoas querem iniciar a obra assim que há o desenho preliminar de sua construção. Porém depois de definir como sua construção deve ser há uma fase importantíssima onde o projetista realiza todos os detalhamentos em diversas folhas de projeto executivo. Uma para cada tipo de detalhe: Pisos, forros, alvenaria, elétrica, hidráulica, marcenaria e etc. É comprovado que o investimento em projetos é sempre menor do que o gasto em reparos depois de construído, portanto evite pular as etapas de detalhamentos e projeto executivo.


4 Compatibilização de projetos

A atuação do arquiteto não se extende a projetos técnicos e de infra estrutura. Sua obra precisará destes projetos pois são eles que definirão toda a parte de engenharia. Em assuntos como instalações e estrutura o arquiteto determina, por exemplo, onde ficarão as tomadas e se serão 110 ou 220. Onde ficarão os pilares e qual as medidas aproximadas deles. Entretanto é necessário um projetista técnico especializado para dizer como serão as fiações, quadro de luz, cargas, circuitos, tipo de concreto dos pilares e definições da armação de aço que vai dentro dele.

Muitas vezes ocorre de a etapa de compatibilização de todos estes desenhos ser negligenciada. O arquiteto envia os projetos arquitetônicos e recebe de volta os projetos técnicos. É necessário que haja uma compatibilização (verificação) para garantir que não haja problemas como um duto de ar condicionado passando por dentro de uma viga. Os profissionais de projeto técnico trabalham apenas a sua área específica e cabe ao projetista principal compatibilizar todos estes desenhos para que tudo se encaixe sem problemas.

Dica: Sempre certifique-se com o arquiteto ou designer se ele realiza a parte arquitetônica de instalações e estrutura (projetos complementares). Caso não faça, contrate um profissional que cuide desta parte e outro que cuide da parte técnica. Veja com algum deles quem ficará responsável pela compatibilização. Esta atribuição geralmente é do arquiteto projetista mas algumas vezes pode ser do responsável técnico pela obra. Contudo é muito importante que você os questione e fique bem claro quem será o responsável por isso,


5 Aceitar que atrasos acontecem

Todos buscamos bater nossas metas e entregar a obra ou projeto o quanto antes. Porém tendo em vista todos os fatores citados no artigo, torna-se contraproducente não prever uma margem de segurança para o tempo de entrega, seja qual serviço for. É um princípio ao qual todo prestador de serviço deveria aderir.

Demonstrar eficiência e rapidez é muito positivo, porém é muito melhor para o cliente e para a imagem do profissional estipular prazos realistas que sejam possíveis de cumprir. Nesta questão é necessário o entendimento dos clientes também para o fato de que todo serviço bem feito leva tempo. O tempo que o profissional precisa para executa-lo com perfeição. É sempre interessante negociar prazos mais curtos, porém se um serviço de 1 mês precisa ser entregue em 20 dias, ele não será bem executado e as consequências serão frustrantes.


Dica: Não deixe de questionar os profissionais sobre prazos realista. Se você for um profissional da construção, deixe claro ao cliente qual o tempo necessário para a boa execução do serviço e cumpra com este prazo. É muito melhor prometer em 9 dias e entregar em 8 do que prometer 7 e entregar em 8.

Esperamos que estes esclarecimentos sirvam de ajuda para você compreender o porque as obras atrasam e agilizar a sua.

0 visualização