GPA BLOG

Descomplicando a arquitetura

Por que contratar um arquiteto?

Recentemente tive contato com uma visão que me fez refletir sobre algumas coisas. Mais especificamente algo que ouvi de um Youtuber, que não citarei o nome e de quem aprecio o trabalho, que disse que não tem porque pagar milhares de reais para alguém só para fazer um desenho, sendo que ele mesmo poderia desenhar sua casa. Referindo-se aos profissionais da arquitetura e projetistas em geral. Acredito que toda opinião distorcida seja fruto de desconhecimento e o melhor caminho para que todos possamos nos entender é esclarecer as coisas. Para nós arquitetos, tudo que aprendemos para nos tornarmos capacitados a assinar a responsabilidade técnica de um projeto, são coisas muito nítidas para nós. Entretanto, nada disso é de conhecimento do público e neste artigo pretendo aproximar um pouco mais a arquitetura de você que está do outro lado da história.

Imagem de Lorenzo Cafaro


Fazemos projeto, não desenho.

A diferença é que um desenho é apenas um desenho por si só e vai provavelmente ornar uma parede ou algo do tipo. O projeto é um conjunto de desenhos que representam algo a ser materializado. Para que isso aconteça, não basta desenhar como deve se parecer a edificação, é preciso também fazer com que aquele desenho seja exequível, ou seja, seja possível de ser construído. Quando você contrata um arquiteto deve saber pelo que está pagando. Se for contratar o design da sua casa, você receberá apenas a representação de como sua casa deve ser (forma), mas não todos os detalhes construtivos e funcionais. Mesmo que você faça desta forma, alguém vai precisar te fornecer todos os desenhos necessários para fazer com que aquele design seja construído e geralmente este papel acaba ficando com os engenheiros. O ideal seria que o próprio arquiteto fizesse todas as folhas de detalhamentos e especificações, deixando ao engenheiro a parte que lhe cabe por sua formação, os cálculos, projetos técnicos e gerenciamento da obra.

Mesmo que depois de saber tudo isso, você ainda esteja convencido de que pode fazer sozinho o "desenho"de sua casa, como você utilizaria o AutoCAD ou o Revit e colocaria todas as folhas de projeto dentro da norma padrão? Há uma norma da A.B.N.T. exclusivamente para desenhos técnicos e outra para desenhos de edificações.

Fazer, por exemplo, um projeto de terraplanagem representando o corte e o aterro, lidar com as cotas de nível, assusta muitos claouros durante a faculdade.

O número de habilidades técnicas e conhecimento necessários para realizar um projeto é muito grande.


O que consiste um projeto?

Existe o anteprojeto e o projeto executivo, é assim que eu gosto de separar. Distinguo os projetos entre: não liberados para obra e liberados para obra. Embora esta questão ainda seja muito relativa de arquiteto para arquiteto e cada um tem uma segmentação diferente das etapas de projeto. O anteprojeto é a idealização das ideias que o cliente passa para nós e todo o planejamento de viabilidade para que estas ideias possam ser executadas. A partir deste ponto é feito o projeto executivo, que nada mais é do que o conjunto de desenhos que será enviado a obra para a execução da mesma. Nestes projetos são colocados todos os detalhes construtivos e instruções para que eles possam ser o mais autoexplicativos o possível. O bom projeto executivo é aquele que fala por si, sem precisar que o projetista seja acionado a todo momento.

Em geral, leva em média 5 meses para fazer o projeto completo de uma casa (anteprojeto e executivo), são muitos desenhos. Em média, 20 folhas com diversos detalhamentos. Desenho de arquitetura e todos os complementares, desde a estrutura, elétrica, hidráulica, pisos, luminotécnica, paisagismo, piscina, até detalhamento de dutos de instalações.


O que poderia dar errado?

Tantas coisas que não conseguiria descrever em um artigo, portanto vamos falar de algumas das principais. Algumas pessoas acreditam que o que fazemos é apenas um desenho e que para desenhar não precisa de arquiteto e muito menos de um que cobre milhares de reais. Assim como disse o Youtuber que inspirou este artigo: "É algo muito intuitivo"

Este pensamento com certeza te trará muitos prejuízos e dores de cabeça no processo de construção e reforma do seu imóvel. Como você calcularia os pilares e a estrutura? Como atenderia as dezenas de normas de iluminação, ventilação, código de obras, parâmetros urbanísticos, etc. Fora que se não tiver uma planta de aprovação você nem começa a construir. Oque é uma planta de aprovação? Saberia dizer como seu terreno pode ser utilizado? Qual o caminho das instalações? Estas e muitas outras questões são parte da atribuição do arquiteto e para isso são necessários 5 anos de estudo, no segundo curso mais exigente de todos, perdendo apenas para medicina. Se a arquitetura se tratasse de algo intuitivo, não teríamos cerca de 80 porcento de desistências ao longo do curso e algumas dependências (poucas e já pagas, graças a deus).


Planejamento financeiro

Construir uma casa geralmente consome uma quantia de dinheiro na casa da centena de milhar, contando materiais, mão de obra e tudo mais. Você gasta em média 50 porcento a mais de dinheiro e tempo se não possuir projetos, pelo tanto de coisas que terão de ser refeitas várias vezes. Mesmo que, tenha uma boa equipe de construtores. Ser humano nenhum consegue guardar um projeto na cabeça.

Se você vai investir centenas de milhares de reais em uma construção e escolhe não se planejar para gastar uma quantia como esta, é uma escolha sua, mas você deve estar ciente das consequências. É bom ter uma bela de uma reserva além do esperado, tanto de dinheiro quanto de paciência e tempo. Se para encomendarmos uma troca de revestimento ou confecção de um móvel, já temos dores de cabeça, imagina a casa inteira e as incontáveis coisas que a compõe?

Deixando bem claro que nada do que é dito neste artigo menospreza o trabalho dos profissionais da construção civil, que fazem trabalhos excepcionais, mas são especializados em construir e não em projetar. Não deve haver uma hierarquia, pois um serviço complementa o outro.

Até mesmo se você for explicar como quer sua prateleira ao marceneiro, você fará um esboço, mesmo que simples. Isto já é um passo trivial de planejamento. O maior erro é acreditar que o que está na sua cabeça pode ser passado para as outras e manter-se intacto sem diferença alguma. Tente, como experimento, encomendar um móvel apenas explicando verbalmente como quer que ele seja e não permitindo ao marceneiro nenhuma medida do local onde ele vai ficar. Também não vale olhar catálogos de cores e acabamentos, explique para ele como quer que eles sejam, verbalmente. Obviamente o resultado será frustrante e fazer isto é o mesmo que construir uma casa sem projeto, salvo as devidas proporções.


Legalização

Suponhamos que você tenha conseguido a proeza de construir uma casa sem qualquer aprovação da prefeitura, mesmo que ela esteja em pé e do jeito que você queria, não tente vender sua casa em hipótese alguma futuramente. Além de ser autuado de todas as maneiras possíveis por ter construído sem autorização e regularização, sua casa possivelmente estará fora de qualquer norma construtiva. Algumas delas são: incêndio e A.V.C.B., iluminação, ventilação, código de obras, dimensionamentos, código civil, plano diretor, zoneamento e eficiência. Estas são apenas algumas das dezenas de normas que se aplicam a um projeto de construção civil.


Arquitetos cobram demais por pouco?

Talvez essa visão venha do fato de que alguns arquitetos são tão renomados que apenas o rascunho de como a casa vai ser, custa dezenas de milhares de reais, ou até mais. Neste caso, você paga pela assinatura e o design dele. Mas estes profissionais são 1 porcento e estão em um nível alto de suas carreiras, podendo cobrar justamente os valores que cobram.

Outro fator muito importante, e já trabalhado neste artigo, é o desconhecimento das pessoas sobre tudo o que é preciso aprender, pensar e calcular para se chegar naquele tal "desenho". Sabendo agora do número de folhas que é geralmente entregue (20 folhas) e o tempo que demanda (5 meses) fica um pouco mais fácil entender os valores trabalhados pelos arquitetos. Contando que além dos projetos executivos, temos que considerar todo o tempo que levará para que possamos levantar suas ideias, necessidades e desejos e fazer todo o processo de criação e design. Muito dificilmente apenas um profissional trabalhará para você, quase sempre são dois ou no mínimo o responsável designará um estagiário para seu projeto. Contando 5 meses de trabalho de um arquiteto formado e, no mínimo, seu estagiário, mais todas as despesas de deslocamento para visitas e reuniões, assinaturas mensais de softwares e todas as despesas normais de qualquer prestador de serviço, temos uma justificativa justa para os valores de nossos serviços.

Agora, caso esteja sendo cobrado de você algo próximo ao valor citado pelo Youtuber (20 mil reais) e você está recebendo apenas o projeto arquitetônico ou anteprojeto, aí precisa ser muito bem acertado com o profissional os motivos destes valores. Isso não quer dizer que ele esteja superfaturando, pode ser um caso de arquiteto renomado que pode perfeitamente cobrar mais do que muitos outros. Pode também ser um caso de estrutura grande. Se um arquiteto vende mais e possui uma equipe maior, pode entregar o mesmo projeto que um autônomo em metade do tempo, porém com o mesmo valor ou até maior, devido aos seus maiores custos.



Agora você já sabe que nós arquitetos não vendemos desenhos e que mesmo com uma equipe multidisciplinar em obras de grandes construtoras, há problemas de compatibilização entre os projetos. Imagine se você se aventurar a construir uma casa sem o devido acompanhamento? É importante saber que o que você tem são ideias e desejos, não conhecimento técnico, mas fique tranquilo, pois é para isso que servem os projetistas. Saiba o que você está contratando de um, e tudo o que ele fará e não fará no escopo de seus serviços.

20 visualizações